Dicas para o cuidador

Doença de Alzheimer: facilitando o dia-a-dia do portador e do cuidador


Cuidado pessoal

Ao observar que há dificuldade em vestir-se na ordem correta, por exemplo: vestir a cueca, calçar meias, vestir a calça mantendo o equilíbrio, etc. você precisa auxiliá-lo. Tente fazê-lo mantendo a calma, esta é uma sugestão de grande utilidade, quanto mais ansiosa e nervosa você ficar, mais difícil será completar a tarefa.

Tirar a roupa em público não é um comportamento normal e cria, para o cuidador, grande contrangimento. Em primeiro lugar, é preciso entender que este comportamento desinibido faz parte da evolução da Demência em alguns casos. Portanto, por mais que pareça proposital, não é. Tirar a roupa subitamente também pode ter outros significados, como por exemplo, vestuário apertado, calor, presença de insetos, necessidade de ir ao banheiro, etc. Adapte o vestuário às condições climáticas, dê preferência à roupa confortável de tamanho certo, conduza o paciente ao banheiro em intervalos regulares de tempo. O mais importante, no entanto, é você proteger o paciente do ridículo. Calmamente, conduza-o para outro ambiente e auxilie-o novamente com o vestuário.

As fases intermediárias da doença trazem para o paciente algumas dificuldades para o auto-cuidado, que se referem ao asseio pessoal, banho, vestuário, alimentação, transferência de um local para outro. No caso do asseio pessoal, pode ser preciso que você tenha que orientá-lo em como colocar creme dental na escova de dentes, fazer a barba, pentear os cabelos, higienizar-se após o uso do vaso sanitário etc. É preciso manter uma boa aparência, dessa forma observe o grau de dificuldade apresentada e auxilie-o, mas não faça por ele o que ele ainda é capaz de fazer, pois assim você estará roubando a independência que ele ainda tem.

Observando a figura ao lado é possível avaliar o grau de estresse e desconforto que a situação pode gerar para o familiar cuidador. Infelizmente, esta pode ser uma ocorrência comum e por isso, a família deve estar bem orientada sobre o tipo de conduta que deve ser tomada. O paciente deve receber estímulos para ir ao banheiro em intervalos regulares de tempo, por exemplo, a cada 2 horas. Ter seu vestuário simplificado, sem muitos botões, fivelas, cintos ou presilhas. A ingestão de líquidos deve ser feita até às 17h, sendo que após este horário, pequenas quantidades de líquidos devem ser oferecidas apenas para tomar medicamentos. O mais importante, no entanto, é que o cuidador observe diariamente o paciente para perceber precocemente as dificuldades que ele está encontrando para usar adequadamente o vaso sanitário, e auxiliá-lo nestas dificuldades.

Não se assuste se ao entrar no banheiro, você perceber que o paciente conversa com a própria imagem no espelho. Esta é uma alteração esperada, pois como a memória recente está prejudicada, ao se olhar no espelho ele pode não se reconhecer. Reaja naturalmente, e observe se isto está fazendo com que ele fique assustado ou alterado. Em caso positivo, o espelho deve ser retirado ou coberto.


< Anterior        Próximo >

Retornar ao Índice

Instituto de Memória - Núcleo de Envelhecimento Cerebral / NUDEC
Rua Napoleão de Barros, 618. Vila Clementino.
CEP 04024-002 / São Paulo – SP
T. 5576-4848 Ramal 2085
Logo Apsen WebSite Desenvolvido por:
BemStar.com.br e SiteCommerce.net