O Instituto

O Instituto da Memória

De acordo com publicação no Diário Oficial da União, datada de abril de 2002 através da Portaria GM/MS no 702, foram designados na cidade de São Paulo pelo Ministério da Saúde três centros para diagnóstico, tratamento e acompanhamento de pacientes portadores de doença de Alzheimer (DA), com distribuição gratuita de medicação específica pela rede pública. Esses centros foram chamados de Centros de Referência em Assistência à Saúde do Idoso. A Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina (UNIFESP – EPM) foi uma das eleitas. As medicações autorizadas para dispensação foram os inibidores da acetilcolinesterase, ou seja, rivastigmina, galantamina e donepezila. Além disso, a Portaria 703 propunha suporte aos pacientes e seus familiares através de assistência de equipe multidisciplinar especializada.

Dessa forma, necessitando enfrentar uma crescente demanda nos ambulatórios responsáveis pelo atendimento das demências devido à elevada estimativa de pacientes com Alzheimer na cidade de São Paulo, os serviços de neurologia, geriatria e psiquiatria da UNIFESP iniciaram o desenvolvimento de um extenso projeto de avaliação desses pacientes. Assim, no mesmo ano de 2002, iniciou-se a criação do NUDEC – Núcleo de Envelhecimento Cerebral.

O desenvolvimento de um projeto

O NUDEC começou com abertura e ingresso de pacientes em lista de espera. Todos eles, independentemente de terem seguimento em serviços públicos ou em consultórios particulares ou conveniados, ou mesmo institucionalizados, agora tinham a possibilidade de retirarem a medicação através da rede pública. Com a divulgação dessa oportunidade, o que era previsto ocorreu, porém em proporções ainda maiores. A procura foi extremamente grande, o que nos motivou, e muito. Em março de 2003 o atendimento dos pacientes se iniciou. No início houve realmente muita dificuldade, mas o serviço foi se estruturando aos poucos e procurando atender a demanda através da realização de mutirões. A portaria previa critérios específicos de inclusão e exclusão dos pacientes. Assim, foi elaborado um protocolo de atendimento dirigido às recomendações, de forma a devidamente contemplarmos às exigências da portaria. Ou seja, não seriam todos os pacientes com Alzheimer que deveriam retirar a medicação, e tampouco elas eram dispensadas a outras formas de demência.

Assim, inicialmente o NUDEC teve por finalidades básicas realizar:

- Avaliação padronizada dos pacientes com possível ou provável doença de Alzheimer encaminhados à UNIFESP. Assim, possibilitando uma melhor definição e orientação quanto ao diagnóstico, bem como tratamento farmacológico e não farmacológico específico, e disponibilizando a medicação aos pacientes estritamente dentro dos critérios da portaria.

- Profissionalização e estruturação de pesquisas em áreas básicas e clínicas em demência na UNIFESP, possibilitando integração interdisciplinar, compreendendo as disciplinas de neurologia, geriatria, psiquiatria e genética.

A conquista representada pela liberação destas medicações, bem como o crescente aumento da demanda de pacientes, fizeram com que a coordenação do NUDEC criasse ações para melhorar a assistência ao usuário, como a prática do atendimento multidisciplinar integrado, e, ao mesmo tempo, disseminar e agregar conhecimento especializado, com a organização de Jornadas, Cursos e Simpósios voltados ao envelhecimento cerebral. Paralelamente abriu-se a oportunidade de realização de pesquisa clínica de novos procedimentos diagnósticos e principalmente, de novas terapias farmacológicas, em conjunção com os principais centros de pesquisa mundiais nesta área. Houve um nível de aceitação entre os pacientes que superou as expectativas, com algo próximo de 97% de pacientes com intenção de participar de pesquisa com novas medicações.

Em 2008, com a intenção de ampliar a ideia do trabalho em relação aos estudos, pesquisas e assistência ao envelhecimento cerebral, especialistas da área de neurologia, de neurociências e de geriatria, criaram o Instituto da Memória, que veio trazer um novo conceito de organização para trabalhar junto aos profissionais atuantes nestas áreas, além de manter o caráter assistencial original.

Com este sistema de organização pretendemos ampliar nossa atuação nas diversas áreas, centralizadas em um único espaço e contando com a experiência de profissionais reconhecidos nesse campo do envelhecimento cerebral. Com o crescente aumento da demanda de pacientes, tornou-se necessário criar ações para melhorar a assistência ao usuário, como a prática do atendimento multidisciplinar integrado, e, ao mesmo tempo, disseminar e agregar conhecimento especializado voltado ao envelhecimento cerebral. Paralelamente, expandiu-se a oportunidade de realização de pesquisa clínica de novas terapias farmacológicas com a ampliação da participação em ensaios clínicos internacionais.

Assim, com esses propósitos, o Instituto da Memória foi estruturado em setores para melhor direcionamento de suas funções:


Instituto de Memória - Núcleo de Envelhecimento Cerebral / NUDEC
Rua Napoleão de Barros, 618. Vila Clementino.
CEP 04024-002 / São Paulo – SP
T. 5576-4848 Ramal 2085
Logo Apsen WebSite Desenvolvido por:
BemStar.com.br e SiteCommerce.net